Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

De repente já nos trinta

De repente já nos trinta

Pérolas no emprego # 11

19.01.16, Girl About Town

De volta ao trabalho e de volta aos dramas de uma operadora de caixa.

No sábado fiquei numa caixa muito ingrata, uma caixa bastante escondida onde quase ninguém me vê então grande parte da manhã tinha que ser eu a chamar os clientes e todos me diziam “ Ai a menina está aqui tão escondida”.

Normalmente chamava os clientes que ainda não tinham as suas coisas no tapete, isto porque não ia estar a pedir às pessoas para tirar as coisas do tapete, assim era mais fácil as pessoas que ainda não tinham nada no tapete podiam passar mais facilmente para a minha caixa.

Fui fazendo isto ao longo da manhã.

Estava quase na minha hora do almoço mas como ainda tinha algumas pessoas na fila chamei a última cliente, os outros dois clientes que estavam na fila da caixa ao lado, um já estava a terminar de ser atendido e a outra cliente já tinha tudo colocado no tapete e iria ser atendida muito brevemente.

Por acaso essa cliente que chamei é minha colega lá no hiper, como não estava a trabalhar então é uma cliente como as outras.

Quando estava a acabar de atende-la ligaram-me para fechar a minha caixa, assim o fiz.

Quando estava a sair fui alertada por uma supervisora que a cliente na caixa ao lado estava a falar sobre mim e perguntou-me o que se passou.

Como não fazia ideia do que ela estava a falar, ouvi um pouco da conversa da cliente e lá percebi que ela estava a reclamar por que eu não a atendi mas atendi uma colega minha só por ser colega.

A supervisora que lá estava perguntou-me se me recusei a atender a cliente eu disse que não e expliquei-lhe o que aconteceu, que a senhora já estava prestes a ser atendida e chamei quem estava a seguir a ela que por acaso era uma pessoa que trabalha comigo.

Dirigi-me a caixa central e a supervisora ficou lá a falar com a cliente, mas durou pouco, uns minutos depois veio a supervisora e a cliente, a cliente pediu para falar com a chefe e esteve lá dez minutos aos gritos a dizer mal da minha pessoa.

Disse que tinha a caixa fechada, que me recusei a atende-la que só atendi as colegas e por ai.

A cliente estava tão descontrolada que eu até estava com medo de sair da caixa central.

Ao fim de uns minutos a cliente lá foi embora e a minha chefe e supervisora felizmente acreditaram em mim e nem me chamaram atenção nem nada.

Eu é que fiquei logo chateada para o resto do dia, estar ali a ouvir coisas que não são verdade sobre mim e sobre o meu trabalho com toda a gente a olhar para mim não é fácil.

3 comentários

  • Imagem de perfil

    Girl About Town

    19.01.16

    Acho que a tua teoria esta certa.
    Eu tenho pensar nisso e ignorar até porque não posso fazer grande coisa é a tal coisa do "cliente tem sempre razão" mas fico revoltada.
  • Imagem de perfil

    Pandora

    19.01.16

    O cliente não tem sempre razão, e então quando falta ao respeito, perde a razão que ainda possa ter.
    Mas quem está no atendimento tem de ser "superior" a isto, e manter tanto quanto possível uma postura o mais impávida e serena possível. A isso chama-se profissionalismo, aliado a boa educação. Tens é de começar a trabalhar no teu interior que o que esta gentinha diz e faz não te pode deitar abaixo, nem te fazer sentir um lixo.
  • Comentar:

    Mais

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog tem comentários moderados.