Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

De repente já nos trinta

De repente já nos trinta

Dúvidas, muitas dúvidas..

03.09.15, Girl About Town

Como já sabem, a minha área de estudo é Gestão e é nessa área que quero trabalhar.

Fazer um mestrado nunca fez parte dos meus planos, pelo menos para já, mal acabe o curso quero tentar entrar logo no mercado e trabalho.

No entanto, sinto que só Gestão não chega, gostava de me especializar numa área em especifico.

Durante muito tempo andei em dúvida entre Contabilidade e Marketing, adoro ambas as áreas e sempre tive muitas dúvidas entre as duas, ainda atenho mas lá me decidi pela Contabilidade.

Porque?

Porque é uma área que também gosto muito, acho interessante, imagino-me a trabalhar na área, abre-me outros caminhos profissionais, enfim sempre gostei muito de contabilidade, além disso justamente por gostar são as disciplinas relacionadas com contabilidade onde eu tiro melhores notas, quase sem estudar então acho que tenho muita aptidão para a coisa.

Então este ano letivo que se avizinha vou fazer extracurricularmente quase todas as disciplinas da Licenciatura em Contabilidade, só as da área de Contabilidade e  Fiscalidade de modo que consiga inscrever-me na OTOC – Ordem dos Técnicos Oficiais de Conta e fazer o exame da ordem.

A OTOC exige um número mínimo de disciplinas para podermos nos inscrever, eu vou fazer essas disciplinas a começar já no 1º semestre, vai ser por isso um semestre bem cheio, com muitas disciplinas.

Estou bastante animada pois é uma área de que eu gosto mesmo muito e estou ansiosa para as aulas começarem, no entanto tenho sempre aqueles receios se a coisa vai correr bem, se vou conseguir fazer todas as disciplinas, se vou conseguir passar no exame da ordem, são receios mas tudo isto depende de mim e eu acredito que consigo.

O meu maior receio é depois de fazer tudo isto que ainda envolve um grande investimento não conseguir arranjar emprego, esse é o meu grande receio.

Acho que ia ser a pessoa mais infeliz do mundo se não conseguisse trabalhar na minha área.

Mas para já não vou pensar muito nisso.

Vou-me concentrar em começar o semestre em força e esforçar-me para que tudo corra bem.

11 comentários

  • Imagem de perfil

    Girl About Town

    03.09.15

    Acredito que fiz uma boa escolha.
    Pelo menos sei que vou estar a estudar aquilo que gosto, com muito trabalho e um bocado de sorte pode ser que consiga logo trabalho.
    Eu paciência até tenho bastante, como disse gosto bastante de contabilidade e fiscalidade e tudo que isso envolve por isso acredito que seja a escolha certa.

  • Imagem de perfil

    Andy Bloig

    03.09.15

    Então estás no bom caminho.

    É uma coisa que chega a ser chata (principalmente porque precisas de adicionar a componente humana, que se esquece do que é o bom senso contra os números... e tens de descobrir maneiras de usar os números para justificar as palavras, coisa que não aprendes na universidade).

    E há aqueles momentos em que vais ter de escolher entre seres a pessoa ou seres a economista/gestora/contabilista. Nessas alturas é que se descobrem coisas complicadas sobre as situações económicas que se estudaram mas, nunca podes imaginar para o que são usadas.
  • Imagem de perfil

    Girl About Town

    03.09.15

    Claro que sim.
    Para esse tipo de situações a universidade não nos prepara, temos que ser nos.
  • Imagem de perfil

    Andy Bloig

    03.09.15

    (trabalhei em contabilidade-finanças durante 12 anos, sem ter terminado o curso universitário de economia... ainda nos tempos que o POC era o ícone máximo e não aqui o SNC (ainda o apanhei, durante uns anos))

    O primeiro contacto é como se fosse um choque. Tens a teoria toda mas, quando começas a lidar com a união números-pessoas, há por aí muita coisa. (também é por isso que temos situações que nunca deveriam acontecer, se existisse o mínimo de transparência entre conceitos, em vez de ser aquele palavreado que tens de decorar para os testes)

    O principal é mesmo teres paciência, pois vais precisar dela após terminares o curso. Não só para procurares trabalho como para o fazeres. (daí ter-te dito sobre informática, neste momento tem tanta ligação a economia e gestão, que não dá para a tirar do campo... os empresários acham que qualquer pessoa sabe olhar para um monitor e conseguir perceber os programas e conceitos com poucos minutos de explicações)
    Agora vai-te é divertindo a fazer os exames, que o resto ainda tens tempo para ir pensando e vendo como é que vai... os próximos meses vão ser MUITO complicados e vais falar de certas coisas que se passam e que não se falam nos noticiários e jornais.
  • Imagem de perfil

    Girl About Town

    03.09.15

    E gostavas de trabalhar na área contabilidade-finanças?
    Já me disseram que ser TOC é uma seca que é muito mal pago e não é um trabalho muito interessante.
    Já nem falo sobre salários, acho que hoje em dia ganha-se mal em quase todo o lado.
    Estas coisas que me dizem as vezes deixam-me assim meio assustada.
    Tens alguma opinião formada sobre isso?

  • Imagem de perfil

    Andy Bloig

    03.09.15

    Trabalhei com vários tipos de TOC ... Sim, por isso te disse que precisas de paciência. Em certas alturas dos meses, o horário pode ser, 24 horas e meia por dia. Nas alturas de apresentação de contas e tratamento de dados, podes não conseguir tudo, porque é normal aparecerem pedidos já depois de teres apresentado os relatórios.
    (se trabalhas com grandes empresas, estas alturas nem tens tempo para descansar e muitas noites são mal dormidas)
    E é aquela coisa com as pessoas-números . É isso que te vai chocar quando chegas à altura de apresentar os dados que obtiveste e encontras pessoas, que deviam saber o que estão a ver... e apresentares-lhes uma demonstração de resultados ou um cesto de frutas exóticas e perguntares o que é... a resposta é a mesma. (e há os drs " que te fazem 1001 perguntas, sobre as respostas que já deste com tudo o que tens)

    Mal pago, depende. Se trabalhares para um banco, no inicio apanhas o choque das normas e regulamentos (alguns deles de tal forma controladores que ficas a pensar que estás com uma máquina de café onde tens 40 pontos sobre como colocar a água dentro do recipiente... e não podes falhar nenhum, ou não tiras café). Conforme vais trabalhando, o ordenado melhora. (apesar que os bancos estão a passar para sistemas descentralizados e baseados na Internet...)
    Trabalhares por conta própria, tens alturas que é mesmo seca e outras que mal consegues respirar (ali entre Fevereiro e Julho é tudo a correr a 1000 à hora. Chegas a Setembro-Outubro , a coisa acalma e sobram as operações de IVA, Retenções, tratamento e envio de dados para as finanças).
    A parte do não ser interessante é por ser bastante repetitivo. Tens alturas que mais parece que fizeste o mesmo exercício por 3000 vezes seguidas e queres ver algo novo. (e existe a frustração quando estás a tratar dados e chegas ao fim, ou a reconciliação bancária não termina ou o balanço tem alguma coisa em falta... Depois de dares umas voltas aos dados, se não encontras a falha, os nervos tomam posse de ti)

    No entanto, a maior dor é mesmo quando tens de te desligar do que és ao teres de passar informações em apresentações sobre contas ou sobre alterações fiscais (nestes últimos anos, é carradas de alterações todos os anos... é como se precisasses de passar o ano a estudar e trabalhar para conseguires estar por dentro do que o governo altera)
    Nessas alturas tens de ter o peito para cima sem precisares de suportes... para não olhares para baixo, para as pessoas que te estão a ouvir. Já deves ter percebido que os números podem ser manipulados para dar este e aquele resultado. Explicar isso é que chega a ser uma dor de cabeça, pois tens de cobrir todas as manipulações que foram feitas. (é aqui que a parte da fiscalidade tem uma importância gigantesca)

    (e tens a parte da ordem dos técnicos de contas que tens de arranjar créditos todos os anos nas ações de formação deles. Algumas são interessantes... outras é tempo perdido só para levares o crédito que precisas. Fui a algumas dessas com uma técnica de contas com quem trabalhei e era cá um pincel... ver um orador estar 3 horas a falar da mesma coisa, que se entendia ao cabo de 10 minutos.)
  • Imagem de perfil

    Girl About Town

    04.09.15

    Obrigada pelo teu ponto de vista, é muito esclarecedor e ajuda-me imenso a ter outra perspectiva, a de alguém que já trabalhou nessa área.
    Já tinha essa ideia, que há alturas de maior trabalho e outras em que não se faz grande coisa.
    Não tenho muito a ideia de trabalhar em bancos, prefiro mesmo empresas.
    Preocupa-me o facto de ser um trabalho repetitivo, tenho sempre aquele receio que me vá encher.
    Mas também acho que é normal ter um ou outro receio.

  • Imagem de perfil

    Andy Bloig

    04.09.15

    Nestas coisas o que precisas mesmo é de paciência e teres MUITA calma.
    Receio nunca o vais perder... apesar de ser muito repetitivo, vais ter algumas coisas que mudam de mês para mês. Claro que o base será sempre do mesmo estilo (horas em frente a um computador, tratar papelada, usar o telefone, tentar perceber que raio os sócios querem...)
    Alguns dos choques que vais apanhar é mesmo encontrar pessoas que parecem ter conhecimentos da área e falam contigo sobre isso... até que chegas aqueles pontos de senso comum e lá se vai a ideia que te deram na universidade. No mundo empresarial é matar ou morrer. Não existe meio termo.
    Agora, com estas coisas do inventário permanente, alguém (dependendo do tamanho da empresa, pode sobrar para ti...) te irá dar o inventário no dia 2 ou 3 do mês seguinte. Tens de comparar com os dados de compras, vendas e perdas para confirmar que os números estão certos... 99% das vezes não estão. É aqui que tens de manter a calma e procurar os erros... porque vais apanhar com as culpas todas. (e vais descobrir que se os números não dizem o que os sócios queriam, o toc é que tem a culpa)
    E as alturas de entregas de IRS são stressantes, porque as pessoas não sabem o que é a declaração. Agora já é tudo "automático" mas, vais aturar muita gente que não sabe a diferença entre saúde e lazer. (não te admires que tenhas pessoas, pouco mais velhas que tu, a darem-te facturas de viagens a dizer que são despesas de saúde...ou a compra de um soutien desportivo, depois de uma operação plástica, com a desculpa que é a mesma coisa do que um cancro... e outras muito mais caricatas)
    De resto, é questão de teres paciência e calma para ires cumprindo o que vais aprendendo (a maioria do que dás vai pelo cano abaixo assim que começas a trabalhar...) e adaptando-te ao estilo do sítio onde trabalhas.
    E começa a "ganhar calos" sempre que possas. Quando tiveres pessoas de família ou amigos a precisarem de tratar assuntos com finanças, segurança social ou centro de emprego, oferece-te para ajudar. Começas a poder ver os sistemas e a forma como as coisas se tratam. Porque vais seguir um caminho onde, todos os meses, terás assuntos para tratar com esses serviços.
    O que interessa é que gostes de trabalhar com números, definições e pessoas. O resto, é questão de te adaptação.
  • Imagem de perfil

    Girl About Town

    04.09.15

    Ora bem, eu paciência tenho muita então já é um ponto positivo.
    E realmente gosto de trabalhar com números e esse tipo de coisa.
    Eu imagino-me a fazer esse tipo de trabalho então acho que vai correr bem.

  • Imagem de perfil

    Andy Bloig

    04.09.15

    Desde que gostes, não terás problemas.
    (concentra-te nas disciplinas onde dês mais coisas sobre recursos humanos, como processamento salarial e alterações contratuais... é das coisas que vais andar ás voltas e tens de dar mais explicações. Apanha as interligações logo enquanto estudas, para não teres de andar à procura quando estiveres a trabalhar. A maioria delas é simples... só que tens de as compreender em vez de decorar o que estudas.)

    Já estás nesse caminho, agora é seguires em frente sem qualquer medo. (em tudo o que existe, tens dias que choras, outros que não te aguentas em pé de tanto rir)
  • Comentar:

    Mais

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog tem comentários moderados.