Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

De repente já nos trinta

De repente já nos trinta

Atendi uma besta

28.01.16, Girl About Town

Se há coisa que tenho vindo a aprender desde que fui trabalhar no híper é que existe gente que nem pode ser chamada disso.

Ontem atendi lá no híper um homem que segundo depois me disseram devia estar bêbado, se estava eu nem sei tamanha foi a cabeça com que fiquei.

O homem foi pagar as compras com cartão multibanco, normalmente quando coloco ou o próprio cliente coloca o cartão tenho por hábito dizer para confirmar primeiro e depois fazer código e ok novamente.

Claro que não faço isto com toda a gente mas com pessoas com mais idade, de outros países que podem não perceber muito bem como aquilo funciona digo sempre para que a pessoa saiba.

Como este cliente era de outra nacionalidade expliquei antes de ele colocar o cartão para fazer ok, código, e ok novamente.

Ele claramente não percebeu pois o multibanco começou a dar erro pois ele não colocou o código a partir dai a conversa foi mais ou menos assim:

 

Cliente: Esta merda não dá.

Eu: Tem que primeiro confirmar o valor, aguarda um segundo depois coloca o seu código e confirma novamente.

Cliente: És burra? Porque é que não disseste logo.

Eu: Eu expliquei-lhe no início, tente novamente por favor.

O multibanco começa novamente a apitar e eu verifico que o cliente não colocou o pin.

Eu: Tem que colocar o pin e depois confirmar.

Cliente: Tas a brincar comigo? Tens que me explicar sua estúpida

(Aqui já estava o cliente aos gritos, provavelmente a me ofender na língua dele com toda a gente a olhar para mim e eu já à beira de um ataque de nervos)

Eu: Olhe lá estúpida não! Está a berrar para quê? Já lhe expliquei como tem que fazer não tenho culpa que ainda não tenha percebido

Cliente: Eu não sou o burro eu trabalho há anos com multibanco, sou especialista em máquinas tu é que és uma estúpida.

Eu: Está a ver a quantia? Carregue no verde, carregou? Agora marque o seu código, são quatro dígitos já está? Agora carregue no verde novamente.

Depois disto eu já a rezar para que o homem saísse de lá depressa e então aparece a tão temida mensagem no multibanco – SALDO NÃO AUTORIZADO-

Depois de muito discutir lá pagou em dinheiro, aos berros porque eu não sabia mexer no multibanco e quando lhe dei o talão atirou-o para cima de mim e disse:

Não quero essa merda vai para o c******

Fiquei tão nervosa mas tão nervosa que estava já à beira de um ataque de choro, foi preciso um esforço enorme para não desatar ali a chorar.

Depois de ele ir embora umas colegas vieram ter comigo e disseram-me que ele estava bêbedo, eu não sei, estava tão nervosa que nem reparei, mas o que mais me revoltou foi que o híper estava bastante calmo então ouvia-se a léguas o homem a berrar, uma supervisora passou e viu aquele espectáculo todo e nem sequer lá foi ver o que se passava.

Fiquei lá eu sozinha a ouvir as barbaridades que aquele homem ia dizendo e a pensar como é que é possível, como é que eu tenho que ser obrigada a ouvir estas coisas e como é que há gente que vem sei lá de que país do mundo onde a educação e o respeito pelos outros não existe ter este tipo de atitudes.

Só queria conseguir ignorar estas coisas e não consigo.

Conclusão, não atendi um cliente, atendi uma besta.

1 comentário

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.